Quais construções precisam de uma Estação de Tratamento de Efluentes

Em um mundo cada vez mais ajustado as necessidades de preservação do meio ambiente, algumas empresas têm buscado soluções que funcionem de maneira eficiente para sua contribuição. Uma das adaptações mais importantes é possuir um sistema que dê fim aos seus efluentes, da maneira correta. 

Entretanto, antes dessa decisão ser tomada, é preciso conhecer os marcos regulatórios do setor. Muitas companhias e empreendimentos residenciais investem em soluções para realizar o tratamento dos seus efluentes, mas se esquecem que elas devem obedecer a leis e normas específicas.

É preciso analisar a Resolução nº 430, de 13 de maio de 2011, publicada pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). A medida é válida em âmbito nacional e define as condições e padrões de lançamento de efluentes. Tanto em corpos d’água, como em solos, são elas:

  • A capacidade de suporte do corpo receptor, ou seja, o valor máximo de cada poluente que o corpo hídrico deve receber, sem comprometer a qualidade da água e seus usos.

  • A maior concentração do efluente que não seja nocivo à sobrevivência e reprodução dos organismos, em um determinado tempo de exposição.

  • A porcentagem ideal de concentração de efluentes em rios, córregos, águas marinhas, estuarinas e lagos.

  • A concentração (letal ou mediana) do efluente que causa efeito agudo a 50% dos organismos em determinado período de exposição.


O Projeto de Estação de Tratamento de Esgoto deve ser criteriosamente definido durante o desenvolvimento do projeto do empreendimento, onde serão estudados os seguintes itens:

  • Tipo do empreendimento: residencial, comercial ou industrial

  • Padrão do empreendimento

  • Necessidade de doação da ETE 

  • Pessoa disponível para operar a ETE ou se deverá ser automatizada

  • Lançamento do esgoto tratado será em rede pública ou diretamente no corpo receptor? Se em corpo receptor, quais suas características?

  • Qual a concessionária do município?

  • Para dispor os resíduos gerados, qual o local mais próximo para destinação?

  • Existência de legislação específica.

Esses são alguns pontos que devem ser considerados e investigados com o intuito de propor um Projeto de Estação de Tratamento de Esgoto adequado. Após o desenvolvimento do projeto ele precisa passar pelos órgãos responsáveis, lembre-se que dependendo da categoria do seu empreendimento ou atividade, é necessário a solicitação de uma Licença Ambiental

E além da Resolução 430/2011, é preciso observar também a legislação do estado e do município onde será instalada a Estação de Tratamento de Efluentes. Algumas possuem especificações que não constam na norma de âmbito nacional. Nesses casos, o ideal é verificar as normas no órgão ambiental local. 

A KSE estuda cada projeto como um caso único, atuando de forma focada na elaboração de Projeto de Estação de Tratamento de Esgoto, com grande experiência e eficiência. 

Realizando a contratação você terá uma empresa especialista no assunto para lidar com questões como:

  • Especificidade da necessidade do seu empreendimento 

  • Agilidade na aprovação dos órgãos ambientais e concessionárias de saneamento

  • Uma equipe especializada, desde o desenvolvimento do projeto a instalação. 

  • Garantia de 45 dias após a instalação 

Para saber mais sobre os serviços de saneamento que a KSE realiza e pode te auxiliar, entre em contato pelo nosso site.

 

saneamento
manutenção
construções
construtoras
tratamento