O síndico e o isolamento social no condomínio

Durante o isolamento social, medida adotada por muitos estados em consequência a pandemia, tornou-se cada vez maior o número de problemas nos condomínios. As famílias que antes não passavam muito do seu tempo em casa passaram a ter que conviver mais com a vida de seus vizinhos, e com isso veio os atritos causados principalmente por barulhos, entre outros. 

Consequentemente o número de reclamações aumentou e todos esses conflitos acabam pesando ao síndico a responsabilidades de resolver, ou mediar. Diante deste cenário, o que fazer?

Com a intenção de ajudarmos o seu condomínio a manter um ambiente harmônico e respeitoso, reunimos neste artigo algumas dicas para você lidar com os problemas que possa surgir durante esse período, principalmente os problemas de barulho. Confira! 

Sobre o barulho

Com áreas de lazer fechadas, crianças sem aula, moradores realizando o home office, o barulho tende a ser cada vez mais exaustivo para todos. Portanto, é preciso conversar com todos os condôminos e criarem uma consciência de que nem tudo se pode reclamar e nem tudo se pode tolerar. 

Claro, muitos só sentem a necessidade de mudar o comportamento quando recebem alguma multa, mas é preciso entender que crianças, por exemplo, são difíceis de controlar, ainda mais isoladas. Tente criar um conjunto de regras básicas e bem claras, para o convívio excepcionalmente durante este período, estipulando deveres que todos devem seguir. 

Se esta medida ainda não tive sido tomada, busque determina-as em uma assembleia extraordinária de forma digital, a qual pode ser convocada pelo síndico ou por ¼ dos condôminos. 

Todo barulho é igual?

Os barulhos que mais costumam incomodar estão relacionados a um mau comportamento, portanto use o bom senso para avaliar. Conversas na varanda, de madrugada ou reformas em horários não permitidos, isso é barulho que pode ser resolvido com multa. 

 

Estipule regras para evitar e conter o coronavírus 

Mude a rotina do condomínio para conter o coronavírus, algumas medidas podem ser essenciais para o bem-estar de todos, como: 

 

  • Fechamento das áreas comuns (playground, academia, salão de festa, churrasqueira

  • Reforço na higienização de botões de elevador, maçanetas de portas e portões

  • Restrição de uso do elevador (uma pessoa por vez ou no máximo três, desde que do mesmo apartamento)

 

Sobre visitas

Dependendo das regras estipuladas no seu condomínio, só são permitidas a circulação de pessoas que não moram no condomínio, em alguns casos, na sua maioria em relação à prestação de serviços e cuidados. 

Sobre moradores doentes
Em interesse do coletivo, é dever de quem está doente informar ao síndico. Assim, todos poderão se proteger de forma adequada e ficarão mais cuidados em relação aos espaços de uso coletivo do condomínio, como elevadores e hall de entrada. Não há uma leia que force o condômino a fazer isso, porém é preciso manter o diálogo com todos e demonstrar o quanto essa atitude é importante e interfere na saúde de outras famílias. 

Sobre o descarte do lixo

Lembre-se de orientar a todos os moradores com o descarte correto do lixo, com embalagens adequadas e devidamente fechadas. Disponibilize os locais corretos e evite que qualquer lixo fique em áreas que não são as designadas para o descarte. 

 

Sobre as entregas

Muitos restaurantes com entrega delivery estão sendo acionados, no momento. Portanto, delimite o local onde os entregadores podem ter acesso ao condomínio e oriente os condôminos. 

 

Sobre obras e reformas

É recomendado que as obras e reformas sejam suspensas durante este isolamento social, mas claro, as emergências precisam prosseguir, desde que esteja dentro da lei e não apresente alto risco aos condôminos. Sabe-se que normalmente qualquer obra ou reforma seria permitida em horário comercial, mas no momento além de oferecer risco a saúde de todos, esta situação pode acarretar dor de cabeça aos moradores que estão trabalhando em casa, por exemplo. 

 

Para finalizar, a orientação geral é: tente sempre resolver os problemas com um bom diálogo. Mas não releve tudo, se perceber que é preciso não hesite em aplicar advertências e multa. 

 

 

Avalie bem as situações e nunca deixa uma situação ruim se sobrepor ao bem-estar dos outros. 

 

Condomínio